As linhas de Arnaldo Battaglini na Estação Pinacoteca

mostra Arnaldo Battaglini _ credito Divulgação

Bi e tridimensional – Artista explora os volumes

 

O escultor, gravador, desenhista e designer de joias paulistano Arnaldo Battaglini (1953) realiza até 09/03/2014 na Estação Pinacoteca, em São Paulo (SP), a exposição “A Fronteira como Território”, com 11 esculturas em ferro, um adesivo aplicado sobre parede e dois trabalhos que mesclam escultura e adesivo (também em parede). Todos foram criados nos últimos dois anos e partem do mesmo elemento: a linha. São ou monocromáticos ou combinam duas cores. Alguns são inéditos.

O foco do artista é na representação espacial, tanto nas esculturas (tridimensionais) quanto nos adesivos (bidimensionais, mas com disposição geométrica que dá a impressão de que eles têm volume). Desta maneira, Battaglini estimula a percepção do espectador. Esse jogo entre materialidade e imaterialidade é reforçado também pelas sombras criadas pelas esculturas.

O catálogo da mostra é lançado no dia 22/02/2014, às 11h, com uma mesa-redonda com Battaglini, o pintor e gravurista Sergio Fingermann e o arquiteto Pedro Mendes da Rocha. A publicação tem texto da crítica de arte, curadora e professora Katia Canton, no qual ela diz que as esculturas de Battaglini são espelhos de simplicidade: “O que as torna tão especiais é justamente a elegância das linhas e o jogo das sombras que cria novos e inusitados desenhos de projeção. (…) Outro ingrediente fundamental que garante a potência do trabalho está na sutileza das diferenças. Ora existem as linhas de ferro que estão no plano, ora há as que saem do plano. Ora são finas, ora engrossam em determinados eixos. Vazados, linhas e transparências seguem uma dança de encadeamentos que geram zonas limítrofes”.

“Battaglini agora está ainda mais sintético. Suas esculturas resumem-se a interpretações de cubos. E aqui, mais do que em qualquer outro lugar, densidades e escalas se alteram, e todo um universo de planos e sombreamentos se reveza, fluindo do campo físico, visual, para o campo mental, imaterial. É ainda uma estética de jogo. Uma estética cuidadosamente apresentada, mas que rompe consistentemente com nossas convenções sobre a imagem e suas representações”, complementa Katia.

A programação da Estação Pinacoteca, disponível no site http://www.pinacoteca.org.br, conta com diversas outras exposições. O ingresso dá direito ainda a visitação à Pinacoteca do Estado, onde também há várias mostras.

Estação Pinacoteca. Largo General Osório, 66, tel. 3335-4990. Ter. a dom., das 10h às 17h30. Ingr.: R$ 6. Grátis aos sábados. Estudantes com carteirinha pagam meia entrada. Crianças com até 10 anos e idosos maiores de 60 anos não pagam.

|

Texto de Everaldo Fioravante publicado em 18/02/2014 no jornal ‘Metrô News’.

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s