Antonio Henrique Amaral em dose dupla em São Paulo (SP)

Antonio Henrique Amaral _ Boa vizinhança _ 1968 _ blog

Boa Vizinhança – Obra de 1968 exibida na Pinacoteca

 

A produção do artista paulistano Antonio Henrique Amaral (1935) está em destaque em São Paulo (SP) em duas exposições, uma na Pinacoteca do Estado (até o dia 23/02/2014) e outra na Caixa Cultural (até 16/02/2014).

A Pinacoteca apresenta cerca de 80 telas e 80 obras sobre papel de todas as fases da carreira do artista, desde os primeiros desenhos e gravuras das décadas de 1950 e 1960 até desenhos e aquarelas recentes. A retrospectiva tem curadoria de Maria Alice Milliet.

Duas séries expostas abordam os tempos de repressão política no Brasil durante a ditadura: “Campos de Batalha” e “Brasiliana”, na qual Amaral explora a banana como tema, um deboche com o regime militar (1964-1985).

“A busca por símbolos que remetam a uma situação, e cujos sentidos são construídos e reiterados no decorrer de suas aparições, é algo constante na produção de Amaral. Se de início elege as bocas e a figura do general, presentes também em suas primeiras pinturas, de meados dos anos 1960, é na representação da banana, ou por meio dela, que o artista consegue concentrar toda sua insatisfação com o momento histórico”, escreveu o crítico Frederico Morais.

Ainda segundo Morais, “o primeiro ícone dessa fase bananas é quase um cartaz político: nele vemos a banana ligando as bandeiras do Brasil e Estados Unidos, nosso progr/ESSO cortado pela ação das multinacionais”.

Já a exposição “Caminhos de Sempre – Antonio Henrique Amaral – Arte Gráfica”, na Caixa Cultural, traz cerca de 100 obras, entre xilografias, litografias, desenhos e matrizes em madeira, obras do início dos anos 1960 até 2013. “Estão expostos trabalhos que refletem a produção inusitada de Amaral como gravador, por meio das matrizes e desenhos preparatórios, esclarecendo ao público o processo de fatura da gravura e a raridade das obras”, afirma Sérgio Pizoli, curador da mostra.

Conhecido sobretudo pelas pinturas das bananas, realizadas de 1968 até 1975, Amaral iniciou a trajetória artística com desenho e gravura. Ele desenvolveu a carreira principalmente em São Paulo. Entre 1971 e 1981, viveu em Nova Iorque, onde se firmou como pintor.

Pinacoteca do Estado. Praça da Luz, 02, Estação Luz do Metrô. Tel. 3324-1000. Ter. a dom., das 10h às 17h30; qui., até as 22h. Ingr. R$ 6. Estudantes com carteirinha pagam meia entrada. Crianças com até 10 anos e idosos maiores de 60 anos não pagam. Grátis aos sábados (o dia inteiro) e às quintas (após as 17h). http://www.pinacoteca.org.br

Caixa Cultural. Praça da Sé, 111, Estação Sé do Metrô. Tel. 3321-4400. Ter. a dom., das 9h às 19h. Grátis. http://www.caixacultural.com.br

|

Texto de Everaldo Fioravante publicado em 14/01/2014 no jornal ‘Metrô News’.

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s