Caciporé Torres tem retrospectiva na Caixa Cultural (São Paulo / SP)

Meteorito _ credito Divulgação

A Poética do Aço – Mostra reúne 20 esculturas

 

O escultor Caciporé Torres (Araçatuba / SP; 1935) apresenta “A Poética do Aço”, retrospectiva em cartaz até 05/01/14 na Caixa Cultural, na Praça da Sé, em (São Paulo / SP), com entrada franca. O artista, que realiza esculturas com vários tipos de materiais (como ferro, bronze, pó de mármore e gesso), nessa exposição exibe 20 trabalhos feitos em aço datados de 1967 a 2012.

A curadoria é do jornalista e crítico de arte Enock Sacramento, autor do livro “Arte no Metrô” (reprodução integral disponível no site http://www.metro.sp.gov.br), no qual aborda o acervo de cerca de cem obras de arte permanentes instaladas em 37 das 64 estações do Metrô paulistano. Já a expografia é de Flávia Rudge Ramos, arquiteta doutorada recentemente pela USP com uma tese sobre a obra de Caciporé.

“Fiz a escolha de apresentar esculturas feitas com aço porque considero esses trabalhos os mais significativos criados pelo artista, aqueles com que ele desenvolveu uma linguagem muito pessoal. Caciporé trabalha soldando pedaços de aço, às vezes colorindo ou polindo o material. Essa mostra reúne então obras em aço cortado, aço cortado e soldado, aço cortado, soldado e pintado e aço polido. Com esse material, o artista constrói um sólido e estruturado universo escultórico”, afirma Enock. “São exibidas obras de pequeno, médio e grande formatos, a menor com 28 x 15 x 5 cm e a maior com 2,7 m de altura”, completa o curador.

Caciporé é o escultor com o maior número de obras em espaços públicos no Brasil, cerca de 80 trabalhos, a maioria em São Paulo (SP), entre eles esculturas na Praça da Sé, no Largo São Bento e no Museu de Arte Moderna (Parque Ibirapuera). Ele também tem obra no Metrô, na estação Santa Cecília: “Trilho, Ritmo e Vibração”, um painel em relevo com 2m de altura e 12m de comprimento, feito com aço e com placas moldadas de cimento branco com pó de mármore.

Além da exposição, há outra novidade envolvendo Caciporé: o livro recém-lançado “A Áspera Poesia da Forma”, do jornalista, crítico de arte e curador Jacob Klintowitz, publicação do Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural.

A carreira artística de Caciporé começou muito cedo. Em 1948, ele participou do Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo. Em 1951, com apenas 16 anos, conquistou na I Bienal de São Paulo uma bolsa de estudos na Europa. Ao longo da carreira, ainda marcou presença em várias outras mostras importantes, como a Bienal de Veneza. É professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Mackenzie.

Serviço

Caixa Cultural. Praça da Sé, 111, São Paulo (SP), tel. 3321-4400. Ter. a dom., das 9h às 19h. http://www.caixa.gov.br/caixacultural

|

Texto de Everaldo Fioravante publicado em 26/11/2013 no jornal ‘Metrô News’.

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s