Gilberto Salvador em dose dupla no Metrô

Jd. São Paulo _ obra de Gilberto Salvador _ credito Everaldo Fioravante

No Jardim São Paulo – ‘Voo de Xangô’, de 1999

 

O paulistano Gilberto Salvador (1946) tem obras em duas estações do Metrô. No Jardim São Paulo, no jardim externo, uma escultura de 1999, ‘Voo de Xangô’, em aço pintado com tinta epóxi. Mede 8m x 20m x 4m e pesa 6,6 toneladas. No Largo Treze, ‘Voo de Aproximação’, painel (peças cerâmicas esmaltadas, coloridas) de 2002 com 150m², em uma parede.

A obra do Jardim São Paulo tem duas compridas estruturas geométricas amarelas de linhas retas, suspensas, apoiadas pelas pontas em uma forma redonda (uma bola) vermelha. Em 1999, o crítico de arte Jacob Klintowitz escreveu: “Ali está ela, alada, soberana, os longos braços abertos, no momento mesmo em que apropria-se do espaço e afirma o seu direito ao céu e o seu reinado na terra. A escultura equilibra-se sobre o globo e é, talvez, esta contradição e este diálogo, as linhas retas, síntese visual de asas idealizadas, apoiadas na esfericidade do globo, o que a torna impactante no primeiro contato. (…) A escultura apresenta-se como um produto atual que utiliza as possibilidades da indústria metalúrgica, da engenharia e do urbanismo. Dialoga com o sistema metroviário de São Paulo, conhecido por sua qualidade técnica e administrativa. A forma artística, uma escultura, em comunicação com a forma utilitária da estação e com o movimento cinético crônico dos trens. O que diferencia uma da outra, a forma artística e a utilitária, é a carga de inovação semântica da escultura. Além deste diálogo tecnológico entre a arte e o Metrô de São Paulo, o artista opõe a metáfora do voo, constante em toda a sua obra, ao transporte terrestre”.

A obra da estação Largo Treze ocupa uma parede das duas plataformas (dos dois sentidos da linha). “A ideia foi de criar um pórtico. Representei o skyline paulistano para dar a sensação de que os usuários do Metrô estivessem entrando ou saindo da cidade. Também simbolizei o voo de um pássaro”, diz o artista.

Gilberto Salvador tem várias atividades programadas para o futuro. Na Pinacoteca do Estado, em 20/7, ganha uma exposição com curadoria de Fábio Magalhães, também autor de um livro sobre a obra do artista a ser lançado durante a exibição. Para abril de 2014, tem mostra no Santander Cultural, em Porto Alegre (RS). Já para 2015, uma exposição no Instituto Valenciano de Arte Moderna (em Valência, Espanha) e outra em Grenoble (França).

Para São Paulo, estão nos planos duas grandes esculturas, ambas em processo de captação de recursos e em execução. Elas ficarão em  espaços públicos: ‘Bicicleta’, ao lado da linha da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), na altura da Ponte Estaiada; e ‘Espheropéia’, perto do Largo da Batata, em Pinheiros.

|

Texto de Everaldo Fioravante publicado em 25/06/2013 no jornal ‘Metrô News’.

Foto: Everaldo Fioravante

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “Gilberto Salvador em dose dupla no Metrô

  1. Pingback: Vôo de Xangô | Gilberto Salvador, 1999 – Fundaçao Gilberto Salvador

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s