‘Caleidoscópio’ instigante de Amelia Toledo na estação Brás

amelia-toledo-blog

Obra feita com placas de aço inox lembra um labirinto

 

Entre as obras de arte permanentes instaladas em estações do Metrô de São Paulo, a instalação ‘Caleidoscópio’, de Amelia Toledo (São Paulo/SP; 1926), no Brás (Linha 3 – Vermelha), é uma das mais instigantes. O trabalho, de 1999, é composto por 25 placas de aço inox, com 2,10 m de altura, 1,25 m de largura e 0,4 m de espessura cada. Elas são encurvadas, retorcidas, e receberam diferentes tratamentos: são escovadas (foscas), polidas (espelhadas) ou coloridas em tons de azul, criando um belo jogo cromático, como o nome da obra sugere. A instalação ocupa 80 m² do primeiro piso da estação.

A disposição das placas lembra um labirinto, permite a circulação entre elas, promovendo assim proximidade e interação com as pessoas. As placas polidas refletem e distorcem a imagem do espectador, reforçando a relação direta entre ele e a instalação.

A artista tem obras em vários outros locais públicos. Realizou os projetos cromáticos e de acabamento da Estação Arcoverde do Metrô do Rio de Janeiro (1999) e do complexo viário Cebolinha (início dos anos 2000), próximo ao Parque do Ibirapuera.

Amelia tem uma longa história de vida e de arte. Ainda criança (1933-1935), a família parte para a Alemanha e ela é alfabetizada em alemão. Retornam ao Brasil em 1936. Entre o final dos anos 1930 e o início dos 1940, ela recebeu orientação artística da pintora Anita Malfatti.

Ainda nos anos 1940, fez estágio de projeto e desenho técnico no escritório do arquiteto Vilanova Artigas. Estudou em Londres na década de 1950. De volta ao Brasil (anos 1960), trabalhou na criação de joias. Atuou como professora em Portugal (1966-1967) e em São Paulo e no Rio de Janeiro (1967-1974).

Impossível detalhar aqui a vasta e sólida carreira da artista, mas vale enfatizar que há décadas ela produz arte e realiza exposições – até hoje, já com idade avançada. Por exemplo, participou de várias edições da Bienal de São Paulo (nos anos 1960 e 1980). Uma mostra de obras dela tem inauguração prevista ainda neste mês na Dan Galeria (Rua Estados Unidos, 1.638, tel.: 3083-4600, entrada gratuita, http://www.dangaleria.com.br ). Para conhecer mais sobre o trabalho de Amelia, acesse o http://www.ameliatoledo.com

A estação Brás do Metrô tem outra obra de arte permanente chamada ‘Tribuna Livre da Criança’. É um colorido mural (pintura sobre cerâmica) de 23 m² feito em 1991 por 24 crianças de grupos de artes plásticas assistidos pela Secretaria de Estado do Menor. A obra foi instalada em uma parede de uma construção na praça externa da estação, onde é o estacionamento. O local em que fica o mural foi cercado por grades, dificultando a sua visualização.

|

Texto de Everaldo Fioravante publicado em 21/11/2012 no jornal ‘Metrô News’.

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s