Arte dentro e fora da estação Trianon-Masp

trianon-masp-wesleydukelee-blog

Obra de Duke Lee reproduz pinturas brasileiras

 

O tema de hoje de ‘Arte na Linha’ é a estação Trianon-Masp do Metrô. Ela tem obras de dois artistas brasileiros: Wesley Duke Lee (São Paulo/SP; 1931-2010) e Francisco Brennand (Recife/PE; 1927). Duke Lee criou em 2001 para a estação o trabalho ‘Um espelho mágico da pintura no Brasil’. São dois grandes painéis em lona vinílica de 40m x 2m cada, um em cada lado (sentido) da plataforma. Neles há imagens de 124 obras de arte brasileiras selecionadas pelo artista.

Sobre um fundo azul, as reproduções das obras (digitalizadas e impressas) foram ordenadas em quatro planos, de acordo com as épocas: séc. 17 ao fundo; séc. 18 no terceiro plano; séc. 19 no segundo; e séc. 20 no primeiro. A obra é uma aula ilustrada sobre pintura brasileira. “A arte só fala dela mesmo. A arte não troca de assunto”, disse certa vez Duke Lee.

O trabalho foi criado a partir de duas inspirações: o conceito de ‘Museu Imaginário’, do escritor e pensador francês André Malraux (1901-1976), baseado na ideia da reprodução de obras de arte por meio de fotografia impressa, para assim aumentar o contato do grande público com o mundo da arte; e o artista flamengo Willem van Haecht (1593-1637), autor de obras em que reproduziu, em ambientes palacianos, várias pinturas e esculturas conhecidas.

Duke Lee foi um dos artistas brasileiros mais inovadores do séc. 20. Nos anos 1960, formou em São Paulo (SP) o grupo vanguardista Rex, junto a outros cinco importantes artistas, como Geraldo de Barros (1923-1998) e Nelson Leirner (1932). O grupo teve uma breve mas intensa existência, marcada pela irreverência, humor e crítica ao sistema de arte.

A história do happening no Brasil também leva a marca de Duke Lee: ele é pioneiro desta forma de expressão que é como uma atuação cênica que incorpora elementos de improvisação. O nome dele ainda tem destaque na introdução da Nova Figuração no País, movimento que retoma o uso da figura na arte e remete à sociedade de consumo e aos meios de comunicação de massa.

A outra obra da estação, também instalada na plataforma, é ‘Pássaro Rocca’, do renomado ceramista Brennand. É uma escultura de cerâmica vitrificada feita em 1990: um totem com 2,80m de altura e 0,40m de espessura. Representa o pássaro roca, gigantesca ave que é personagem do livro ‘As mil e uma noites’.

Falar das obras de arte da estação Trianon–Masp e não mencionar o museu que fica ao lado dela e lhe empresta o nome seria uma falha. O Masp (Museu de Arte de São Paulo) é considerado o mais importante museu de arte do Hemisfério Sul. Tem um rico acervo de 8 mil peças, a maioria de arte ocidental, desde o século 4 a.C. até os dias de hoje.

|

Texto de Everaldo Fioravante publicado em 14/08/2012 no jornal ‘Metrô News’.

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s