O colorido de Aldemir Martins no Tatuapé

Tatuape-AldemirMartins-blog

Cores usadas pelo artista são a cara do Brasil

 

O artista Aldemir Martins (Ingazeiras/CE, 1922; São Paulo/SP, 2006) escreveu seu nome na história da arte brasileira com uma vasta e rica produção marcada pelas figuras coloridas, como gatos, pássaros, galos, peixes, flores, cajus e outras frutas, cangaceiros, mulheres, futebol e paisagens.

Ele trabalhou com pintura, desenho, aquarela, gravura e várias outras técnicas. Os temas são sempre populares, cenas cotidianas. As cores, cheias de vida e alegria, intensas e contrastantes, são a cara do Brasil. “Vejo minha pintura como celebração à vida. Por isso me envolvo mais a fundo com determinados temas”, disse Aldemir a este jornalista em entrevista em 2002.

O tema de hoje de ‘Arte na Linha’ é o belo trabalho de Aldemir criado para a estação Tatuapé do Metrô, intitulado ‘Inter-relação entre o campo e a cidade’. É um painel cerâmico colorido medindo 2,90 m de altura por 24,80 m de comprimento, montado com azulejos de 20 x 20 cm pintados a mão. Ele foi feito no mezanino da estação em uma parede ondulada (como uma letra S).

A obra tem cenas rurais e urbanas. Tem o verde da plantação. Tem o trabalho na lavoura e o de construção da cidade. É como uma homenagem àqueles que deixaram os interiores do Brasil rumo às cidades, que enfrentaram a modernidade sem esquecer as origens.

A carreira artística de Aldemir Martins começou cedo. Ele desenhava desde menino. Aos 11 anos, ingressou no Colégio Militar de Fortaleza, em que foi monitor de desenho de sua classe. De 1940 a 1945, esteve no Exército e obteve a curiosa patente de cabo-pintor.

Depois, deixou o Ceará rumo ao Rio de Janeiro (RJ), aonde ficou por pouco tempo. Fixou-se em São Paulo (SP) em 1946. Entre 1960 e 1961, viveu em Roma, na Itália. Voltou para a Capital paulista em seguida, cidade em que permaneceu.

Em 1951, ganhou o prêmio de desenho na 1ª Bienal de São Paulo. Em 1956, foi o primeiro artista sul-americano a receber o Prêmio Internacional de Desenho da Bienal de Veneza. Aldemir continuou criando suas obras e acumulando exposições e premiações no Brasil e no exterior ao longo da vida inteira. Mergulhou com vontade na arte. Foi e ainda é reconhecido pelo trabalho desenvolvido.

“Faz muito tempo que pinto todo dia. Sou um trabalhador nato, chego a ser compulsivo. Afinal, não sei fazer outra coisa”, afirmou o artista quando tinha 79 anos, na mesma entrevista já citada.

O painel da estação Tatuapé do Metrô foi realizado em 1993 por um Aldemir já bem experiente. O trabalho apresenta o domínio técnico e criativo atingido pelo artista. A composição com as figuras e as cores no espaço é absolutamente harmoniosa. Vale a pena dar um pulo à estação para se deliciar com o Brasil traduzido em cores por Aldemir Martins!

|

Texto de Everaldo Fioravante publicado em 11/09/2012 no jornal ‘Metrô News’.

Foto: Divulgação

About these ads

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s